SOBRE NÓS

Breve historial

Tudo começou no Terravista e com a designação de Coja n@ net. Posteriormente, transferimos os conteúdos para a Tripod, permitindo desde logo, alguma inter-actividade com os cojenses. Nesta altura, o site começou a receber a designação que hoje tem, «A Princesa do Alva».

Em Outubro de 2003, o site é alojado nos servidores da Sapo e marca definitivamente o arranque de uma nova etapa deste site cojense.

No restaurante "O Lagar do Alva" com a sala central completamente repleta de convivas, comemorámos o 5º aniversário numa noite que dificilmente sairá da memória daqueles que a ela puderam juntar-se... e foram cerca de 60 os que não deram a noite de 1 de Outubro de 2005 por mal empregue.

No dia 31 de Janeiro de 2006, atingimos 30 mil acessos e em Maio de 2007 chegámos aos 50 mil! No final de 2010, o nosso contador de acessos atingiu 244 mil!

Mas, voltando atrás, em Março de 2006, cumpriu-se mais uma etapa: a compra de alojamento e registo do domínio aprincesadoalva.com, tudo com o apoio de alguns empresários locais.

A nossa participação neste probo projecto passa apenas pela tentativa de projectar a nossa Coja por esse País e Mundo fora, quebrando a herança trágica da pequena vila interior e deprimida onde nada acontece e onde poucos têm valor. Sem política, religião ou outras questões divisórias, esta página tem sido um elemento catalisador do orgulho de ser cojense, fórum de discussão permanente, abertura de espíritos e criadora de sinergias necessárias ao seu desenvolvimento.

Como cojenses nada mais fazemos do que lutar pela nossa terra e pelos nossos concidadãos. Esperamos, portanto, poder continuar a contar com o vosso entusiasmo e agrado. Só assim vale a pena continuar um projecto desligado de qualquer interesse que não seja “Coja Sempre!”.

Como sempre, não só aceitamos como pedimos a sua opinião, para podermos fazer ainda melhor!

5º aniversário

Com a sala central completamente repleta de convivas, comemorámos o 5º aniversário da nossa página numa noite que dificilmente sairá da memória daqueles que a ela puderam juntar-se... e foram cerca de 60 os que não deram a noite por mal empregue.

Findo o prato principal e usando da palavra, o nosso webmaster Luís Filipe Leal agradeceu a presença de todos, deixando uma palavra particular a todos quantos, mais frequentemente ou não, colaboram com a página, enumerando-os um a um. Referindo os principais propósitos do projecto, a divulgação e informação do que em Coja se passa, Luís Filipe Leal dirigiu uma palavra de apreço para o proprietário do restaurante onde se encontravam, António Manuel Gonçalves Silva, que abrindo as portas do seu estabelecimento comercial, proporcionou o momento vivido.

Nuno Mata, referiu também a finalidade desta página, considerando a mesma como um passo em frente na visão pessimista de que Coja se “auto condena” ao miserabilismo. Transportando o nome da vila pelo Mundo fora, agradeceu a todos quantos têm feito dela um hábito diário e, também, a alguns que não podendo estar presentes deixaram mensagens de parabéns e de apreço.

Tendo em conta que actuariam de seguida os “Ensaios da Noite”, quinteto de sopros saído das fileiras da Filarmónica Pátria Nova de Coja, salientou ser este grupo um exemplo do que os jovens, com empenho e qualidade como aqueles, poderiam almejar para o seu futuro e para o futuro de Coja.

Finalmente, Silvino Oliveira, cronista desta página, contou uma história/anedota que, segundo ele, serviria para a reflexão de todos, com vista a que todos possam estar despertos para as oportunidades que possam surgir.

Terminado o jantar, viveu-se o momento mais alto do evento: a actuação do quinteto “Ensaios da Noite”. De repertório variado, os cinco jovens cojenses encantaram os presentes com alguns temas que percorriam várias paragens do Mundo, dos Balcãs ao Brasil. A qualidade musical, o local privilegiado onde actuaram, fizeram do momento algo de inesquecível para quem esteve presente, que aplaudiu (justamente) de pé a saída do grupo, desejando decerto que possam voltar em breve.

É-nos difícil o distanciamento. O receio inicial de que pudesse haver algum percalço foi imediatamente ultrapassado.

Poderemos dizer com verdade que estivemos de parabéns: pelos 5 anos de existência, pelos propósitos que pretendemos e pela belíssima noite vivida pelas pessoas que estiveram no Lagar do Alva que, opinião unânime, prestou um serviço de muita qualidade aos que ali se deslocaram.

Não é, portanto, de estranhar que todos agradecessem a sua disponibilidade e serviço.

Solidariedade

Na sequência do nosso jantar de aniversário, o proprietário do Restaurante Lagar do Alva, António Manuel Gonçalves Silva, apurada a receita do jantar de aniversário decidiu que as colectividades contempladas seriam o Rancho das Rosas e a Filarmónica Pátria Nova.

Assim, findo o jantar, foram entregues nas pessoas dos presidentes (ali presentes) da Direcção do Rancho das Rosas de Coja, António Manuel Tavares e da Associação Filarmónica Progresso Pátria Nova de Coja um donativo de 125 Euros cada.

Da parte que nos toca apenas esperamos que outros nos possam seguir o exemplo... para bem de Coja, sempre!

No âmbito das comemorações do 5º aniversário do nosso site, colocamos à venda, 250 isqueiros (como o logótipo e endereço do site), pelos estabelecimentos «Victocális», «D.Ramiro II», «João César», «Lagar do Alva-Restaurante Bar» e «XPTO» (Lisboa), que se associaram à iniciativa.

Foi entregue à Direcção da Associação Humanitária e Social dos Bombeiros Voluntários de Coja, a quantia de Euros 125,00. A aprincesadoalva.com agradece a todos quantos contribuíram para este gesto de solidariedade.

Uma vez por mês

Integrado no 5º aniversário da nossa página, o nosso colaborador Nuno Mata apresentou no bar “A Moenda” (Lagar do Alva) o seu último trabalho intitulado “Uma vez por mês”.

Numa sala repleta de amigos e convidados, o autor iniciou por agradecer a sua presença, particularizando nos agradecimentos o seu irmão Rodrigo Nunes (responsável pelas composições gráficas de todos os seus livros) e Marina Gomes, sua colega de profissão e ali presente, que tem tido a função de rever os seus escritos. Confidenciando que este livro foge ao que habituou os leitores, por ser de textos mais leves e humorados, Nuno Mata referiu que este projecto homenageia o projecto Internet onde colabora, pelo facto do título da obra ser o mesmo da sua crónica mensal aqui publicada, bem como o desenho de capa resulta do seu cartoon, também mensal.

Terminada esta curta intervenção, os presentes puderam apreciar a obra, degustando um beberete oferta do Restaurante Lagar do Alva.

De salientar que a edição limitada de 100 exemplares, rubricados e numerados pelo autor, se encontra já praticamente esgotada.

Se haverá ou não um segundo volume, prometemos que aprincesadoalva.com será a primeira a saber...

QUEM SOMOS? 

LUIS LEAL

Nasceu em Coja, no ano de 1965. Na vida, exerce a profissão de Técnico de Emprego, no IEFP. Passatempo preferido: navegar na Internet; Clube: Briosa

Nota: É o mais permanente colaborador do site, pois é ele que o tem de editar, gerir e publicar.

NUNO MATA

Nascido em Sintra (1970), mas cojense! Professor de Geografia em Coja Passatempo preferido: Passar o tempo... Clube - Sporting Clube de Portugal Frase - «Uma vida sem vícios é apenas uma existência» Nota: É praticamente o «dono» deste site. Grande parte dos conteúdos aqui publicados, foram retirados dos seus livros. Também lhe pertence a chefia da «Redacção» da nossa secção de notícias. Publica mensalmente a crónica «Uma Vez por mês», e com ela, o já famoso cartoon «O Banquinho da Praça».

SILVINO OLIVEIRA

Nascido em Coja em 1962 Profissão: Cabeleireiro

Periodicamente, publicou a crónica «Coja e o seu futuro - perspectivas».

FONSECA E SOUSA

Fonseca e Sousa é o pseudónimo literário de Fernando Manuel Carvalho Castanheira, cojense radicado há mais de 20 anos em Beja. Licenciado em Direito, utiliza este pseudónimo na sua actividade de cronista e de escritor. Juntou-se à equipa de aprincesadoalva.com em Maio do ano de 2006. Assina a crónica intitulada «De vez em quando». Segundo o autor, «(...) nestas coisas da nossa Terra, todos, mas todos, devemos colaborar, cada qual com o que pode. Torga disse que quem faz o que pode faz o que deve».

CARLOS CEREJEIRA

Carlos Cerejeira, nascido em Pisão (Coja) em 1947, é Gerente Administrativo e T.O.C.. Gosta de escrever e é um apaixonado pelo voluntariado. Desde cedo começou a fazer parte de colectividades. Privilegia os bons momentos passados com os verdadeiros amigos. Juntou-se à equipa de aprincesadoalva.com em Junho do ano de 2006.

OUTROS COLABORADORES 

JOÃO CARLOS NEVES

BRUNO TRINDADE

BRUNO VITÓRIA

ALBINO VITÓRIA

ISABEL CARVALHO

ANABELA BORGES

JOSÉ BERNARDINO

IMAGENS V ANIVERSÁRIO