O CONCELHO

O Concelho de Arganil

Situa-se na Beira Serra, inserida numa região predominantemente montanhosa (entre as serras da Lousã e da Estrela). Concelho essencialmente agrícola, onde se produz, principalmente, milho, batata, azeite e vinho. A árvore dominante é o pinheiro. Esta floresta permite a indústria de resinagem, a serração, a carpintaria e a indústria de móveis. Do ponto de vista económico, as actividades mais importantes são a indústria têxtil e a das madeiras, que empregam a maior parte dos habitantes. Regista-se um aumento significativo dos Serviços. Os invernos são chuvosos, acumulando-se nuvens de nevoeiro nesta zona. Esta situação provoca baixas temperaturas quer no ar quer no solo e a humidade aumenta. Em Janeiro e Fevereiro as geadas raramente desaparecem. No Verão as temperaturas são elevadas. Nas margens dos rios e ribeiras há salgueiros, amieiros e freixos. Faz-se a pesca do barbo e da enguia, para além da truta.

INFORMAÇÕES ÚTEIS

Sobre o Concelho

Tem uma área de 332,9 km2, que se subdivide em 18 freguesias: Anseriz, Arganil, Barril do Alva, Benfeita, Celavisa, Cepos, Cerdeira, Côja, Folques, Moura da Serra, Piódão, Pomares, Pombeiro da Beira, S. Martinho da Cortiça, Sarzedo, Secarias, Teixeira e Vila Cova do Alva.

Média e Imprensa

Jornal de Arganil | »»»

Rádio Clube de Arganil | »»»

Arganil TV | »»»

Município de Arganil

Site Oficial | »»»

Hotelaria e Restauração | »»»

Aldeias do Xisto | »»»

Aldeias históricas | »»»

Paisagens naturais | »»»

Imagens

Alguns monumentos

Santuário do Mont'Alto

Santuário de devoção Mariano, onde a acessibilidade ao Santuário - Ladeira - está marcada por várias capelas de interesse etnográfico. Foi mandado construir em 1521, por Francisco Pires, natural de Arganil, sendo o edifício actual de 1796. Encontram-se no Santuário, talhas do séc. XVIII, pedras de Ara do Altar-Mor (1680), escultura de Sta Luzia (sec.XV), em calcário e de Sta Ana (sec. XVIII), em madeira. No dia 15 de Agosto deslocam-se numerosos romeiros ao Santuário, que se encontra localizado num aprazível cabeço, a 500 metros de altitude.

Capela de São Pedro

Edificação maciça e austera, dos finais do séc. XIII, situada em S. Pedro; Exemplar arquitectónico notável pela sua simplicidade tendo chegado até aos nossos dias a cobertura de madeira o que a torna um exemplar único em toda a área da Região; Escultura de S. Pedro em calcário dos finais do séc. XV

Igreja do Convento do Mosteiro de Folques

Data do séc. XVIII e é dedicada a S. Pedro; Retábulo principal e colaterais de madeira entalhada dos finais do séc. XVII; Escultura de calcário do séc. XV representando S. Pedro, Sto. Bispo, Sra. do Pranto, S. Goldrofe; Escultura de madeira do séc. XVIII representando S. Teotónio; Pia de Água Benta, Manuelina Mosteiro de Folques; Antigo convento dos frades Crúzios, datará provavelmente de 1162 tendo sofrido diversas reformas ao longo dos séculos datando a última do último quartel do séc. XX; Claustro quinhentista em dois andares que sofreu diversas reformas havendo a destacar elementos Manuelinos na parte virada a nascente

Praias Fluviais

Praia Fluvial de Piódão

Na ribeira de Piódão foi construída uma represa que criou uma zona fluvial que reúne condições para a prática da actividade balnear. As suas margens e toda a área envolvente, encontram-se bastante arborizadas, permitindo zonas de lazer.

Praia Fluvial de Coja

É constituída por um açude que criou na parte inferior, um “espelho de água”, e cujas margens são constituídas por um areal que permite a permanência de banhistas junto à água. A parte superior é formada por um lençol de água , o que permite, além da actividade balnear, algumas actividades recreativas como, a canoagem, gaivotas e pesca desportiva. Na Margem direita do rio Alva existe um antigo lagar e moinho, que foram convenientemente recuperados, onde funciona um bar, restaurante e esplanada. Na Margem esquerda existe um parque de campismo; Esplanada e bar que funcionam durante a época balnear.

Praia Fluvial de Pomares

Junto à ponte que atravessa a Ribeira da Moura, de três arcos e cantaria e que remota ao século XVIII, que se situa a zona reservada à praia fluvial. Dispondo de enquadramento paisagístico privilegiado junto à ponte, em que o leito da ribeira dispõe de uma represa aí construída, e que possibilita o aumento do caudal formando um extenso manto de água.

Praia Fluvial de Benfeita

A praia fluvial foi alvo de um programa de intervenção o qual proporcionou a criação de uma zona de balneários e um polidesportivo na margem esquerda da ribeira de Benfeita.

OUTRAS PRAIAS FLUVIAIS A VISITAR

Localidades: Secarias, Saredo, Barril de Alva, Foz d'Égua, Sobral Magro, Agroal e Cepos.